Agências de publicidade buscam apoio jurídico para evitar multas na Lei Geral da Copa

Redação Portal IMPRENSA | 17/05/2014 16:30
Para pegar carona nas discussões sobre a Copa do Mundo, diversos anunciantes têm apostado em campanhas com o tema futebol. Mas para não cair em uma questão jurídica, que veta qualquer menção ao evento esportivo em peças publicitárias de marcas que não sejam patrocinadoras, as agências têm recorrido ao apoio jurídico.

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo deste sábado (17/05), no jornal Folha de S. Paulo, a consultoria jurídica para que os clientes não acabem multados pela Lei Geral da Copa pode sair por R$ 5.000 a hora. Pelo valor, grandes escritórios têm avaliado roteiros de propagandas e vídeos antes de serem lançados.

A legislação aprovada por exigência da Fifa protege marcas e símbolos da competição. Apenas patrocinadores oficiais podem usar, por exemplo, termos como “Copa do Mundo”, ou “Copa 2014”, ou ainda a utilização de imagens da taça e do mascote oficial, Fuleco, em suas campanhas publicitárias.