Repórter da Record é expulsa de delegacia em Franco da Rocha e sindicato cobra retratação

Daniela Ades* | 27/09/2011 12:51
O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) publicou uma nota de repúdio ao incidente envolvendo o titular da delegacia de Franco da Rocha, Luís Roberto Faria Hellmeister, e a repórter da Record, Fátima Souza, no último sábado (24), pedindo "imediata retratação". 

Hellmeister teria insultado e expulsado a jornalista da delegacia, após ela ter insistido em questionamentos sobre a detenção do comentarista esportivo Oscar Godoy, que atropelou uma mulher quando dirigia supostamente embriagado ao volante.

Em carta redigida pela própria repórter, Fátima conta que o delegado não respondia satisfatoriamente às perguntas durante a coletiva e que indignou-se com a "eufemização" da situação pelo policial.

A jornalista questionou o delegado se ele havia consultado fontes para saber ao certo se Godoy dirigia em alta velocidade, ao que Hellmeister respondeu que não, mas "deduzia que estava em baixa", senão a mulher atropelada teria sofrido ferimentos mais graves. Ele afirmou que ela havia sofrido "ferimentos leves" e que Godoy estava muito "abalado".

Quando Fátima questionou o delegado se ele estaria na delegacia fora do horário do expediente caso o acidente envolvesse um "zé ninguém", Hellmeister exaltou-se e ordenou para que ela saísse do local, ameaçando prendê-la por desacato. "A senhora é uma repórter espúria; se retire da minha delegacia. Enquanto eu for delegado você não pisa mais aqui dentro", teria dito o delegado, aos berros, à profissional.

O sindicato exige uma retratação sobre o caso e a manifestação da Secretaria de Segurança Pública. A repórter diz que se sente "satisfeita" por cumprir sua função de repórter. "Fiquei com a impressão de que os outros é que bebem e eu levo a culpa, mas estou muito feliz em exercer minha função com dignidade, perguntando o que as pessoas não querem ouvir porque as incomodam".

Procurado pelo Portal IMPRENSA, o delegado não foi localizado para comentar o assunto. Já a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública informou "desconhecer o ocorrido". Tanto a repórter quanto o sindicato pretendem acionar a Corregedoria da Polícia sobre o caso.


* Com supervisão de Gustavo Ferrari


Leia mais