Editora Abril demite Diretores de Núcleo; até dez títulos podem ser fechados

Redação Portal IMPRENSA | 07/06/2013 17:17
Atualizado às 19h

Após semanas de boatos e informações prevendo uma demissão em massa no Grupo Abril, a empresa iniciou, na tarde desta sexta (7/6), um processo de reestruturação que envolve desligamentos e fechamento de títulos. 

Segundo IMPRENSA apurou, os cortes começaram pelos diretores de núcleo que passaram a ser chamados por volta de 16h.  

Entre os demitidos estão Alfredo Ogawa, diretor de serviços editoriais da Abril Mídia; Brenda Fucuta, diretora superintendente da extinta UN Segmentada I; Claudio Ferreira, diretor comercial de administração da Unidade de Negócios Veja; Daniel Gomes, diretor de planejamento Estratégico e Novos Negócios; Kaike Nanne, diretor do Núcleo Comportamento; Márcia Neder, diretora do Núcleo Moda e Beleza e Paula Traldi, diretora de Recursos Humanos da ex-Abril Mídia.

Está prevista para a próxima semana a divulgação de quais revistas serão descontinuadas e o quanto esses cancelamentos afetarão o quadro de funcionários. Fala-se na redução de até mil vagas.

A empresa enviou comunicado no final da tarde confirmando as mudanças. 

Reestruturação do grupo

Com as mudanças, o Grupo Abril passa a ter uma nova estrutura e a junção das unidades de negócios que estavam ligadas à Abril Mídia. Elas serão cinco: Unidade de Negócios Veja, UN Exame, UN Abril Segmentadas, UN Negócios Digitais e UN de Negócios de Assinaturas. 

A UN Veja será comandada por Thais Chedes Soares que acumula o cargo de diretora geral de publicidade; a UN Exame será comandada por Claudia Vassallo; a UN Abril Segmentadas será dirigida por Helena Bagnoli no comando geral e Claudia Giudice como diretora superintendente. 

Já a UN de Novos Negócios Digitais terá Manoel Lemos como titular e reúne as operações Alphabase, iba, Elemidia, E-commerce e um Fundo de Investimento em Empresas de Tecnologia. A UN de Negócios de assinatura continua sob a liderança de Fernando Costa. 

Foi criada uma assessoria editorial à presidência que será ocupada por Edla Müller que seguirá com o trabalho realizado por Thomas Souto Corrêa. Também foi criada uma vice-presidência de operações e gestão que será comandada por Marcelo Bonini. 

Resultados positivos

A reestruturação da companhia acontece dois meses depois do anúncio da divulgação de receita líquida de R$ 2,98 bilhões, alcançados em 2012. Já a receita publicitária da empresa foi de R$ 1,03 bilhão no período.

Giancarlo Civita, que à época da divulgação dos resultados estava no cargo de vice-presidente do Conselho de Administração da companhia, destacou que “mesmo em ano de cenário econômico complicado mantivemos firme a missão de difundir cultura, educação e entretenimento”.

A parte digital da empresa também apresentou números satisfatórios. Os sites da Abril atingiram 59 milhões de internautas no ano passado. O Exame.com teve crescimento de 86% e chegou a 53 milhões de pageviews. Em 2012, a Abril S.A. ainda comprou a participação dos minoritários na Elemidia e passou a ter 100% do negócio.

Recentemente, a empresa fez vários investimentos e aquisições por meio da Abril Educação que já conta com marcas como Ática e Scipione, Anglo, Ser, Maxi, pH e GEO, os sistemas Anglo Vestibulares e o Curso e Colégio pH.  

Leia também:
- Valor promove cortes; demissões já passam de 30 em SP, RJ e DF
-Grupo Ejesa dispensa ex-redação do Marca em SP; 19 serão afastado