"É maior a chance de conseguirmos o hexa do que o Brasil ser elogiado", acredita Beting

Mauricio Kanno | 08/10/2013 16:30
O jornalista esportivo Mauro Beting, comentarista da rádio e TV Bandeirantes, considera que a próxima Copa do Mundo, no Brasil, será uma experiência de fato nova. “Luis Mendes, da rádio Globo, foi o último jornalista que cobriu Copa no Brasil, em 1950, mas nos deixou há cerca de dois anos.”

Crédito:Alf Ribeiro
Mauro Beting acredita que Brasil enfrentará problemas durante a Copa


Ele participou "Painel Diálogos V – Cobertura esportiva em ano de Copa do Mundo”, nesta terça-feira (8/10), durante a 2ª edição do mídia.JOR, organizado por IMPRENSA. 

Beting admite que não fará uma preparação especial para a cobertura da Copa em 2014. “Desde a Copa de 1974, eu já estudava futebol, e isso segue da mesma forma”, relata. “A diferença é que não vou ter que estudar o país-sede, como até gostaria de ter me preparado melhor para a África do Sul.”

Além disso, ele considera que será um evento que não vai incluir só o futebol, mas a prestação de serviços para o cidadão em geral e que vai entrar em outras esferas, como o trânsito na cidade e, sem dúvida, as manifestações, como se pôde verificar durante a Copa das Confederações. 

No entanto, imagina que, pelo atual momento econômico, que inclui demitidos, não contratados ou fechamentos de jornais, pode haver comprometimento da qualidade de cobertura do evento.

Já quanto à estrutura da Copa no Brasil, ele é conciso: “Vamos torcer. Só sei que é maior a chance de conseguirmos hexa do que o Brasil ser elogiado pela estrutura oferecida.”

O mídia.JOR acontece nos dias 07, 08 e 09/10, no teatro da Aliança Francesa, em São Paulo ( SP). O evento, realizado por IMPRENSA, é patrocinado pela Oi, com apoio da Aliança Francesa, Fenaj, Abert, Abradi, Aner e ANJ.