Maria Lima fala sobre cobertura política e indicação ao "Troféu Mulher IMPRENSA"

Alana Rodrigues* | 15/01/2014 09:45
A indicação à 10ª edição do "Troféu Mulher IMPRENSA" foi recebida com surpresa pela jornalista Maria Lima, de O Globo, finalista na categoria “Repórter de Jornal”. Agraciada com o prêmio em 2011, ela conta que é uma nova emoção concorrer com colegas que se destacaram ao longo de 2013.

“As mulheres jornalistas têm mostrado grande capacidade de liderança, ocupando cada vez mais espaços de chefia e comando em todas as mídias”, ressalta.

Crédito:Alf Ribeiro
Maria Lima concorre como finalista na categoria Repórter de Jornal

O primeiro contato da repórter com a redação foi como revisora no jornal Diário da Manhã, em Goiânia (GO). Mais tarde foi para a TV Centro-América, sucursal da TV Globo em Mato Grosso (MT), passando pelo Correio Braziliense, onde cobriu a Assembleia Nacional Constituinte e a chamada "Nova República".

Além disso, em 1989, Maria foi para O Globo, em Brasília, acompanhar a campanha do presidente Fernando Collor, seus dois anos de governo e o impeachment. Da reportagem passou para a coordenação de Política da sucursal de Brasília durante quatro anos e atualmente se destaca pelas coberturas sobre o governo do país.

“Estou cobrindo Oposição, os presidenciáveis Eduardo Campos e Aécio Neves, e outros assuntos que renderam polêmica, como o número de creches que a presidente Dilma desmentiu em uma meta anunciada por ela mesma”, conta a jornalista, referindo-se a algumas coberturas iniciadas no ano passado.

Para Maria Lima, um dos trabalhos que mais a marcou em 2013 foi a matéria "Garçom vira dublê de senador para parlamentar não discursar sozinho", em que retrata o caso do funcionário que, a pedido do senador suplente João Costa (PPL-TO), virou dublê de legislador no plenário para que ele não discursasse no local vazio. "[A matéria] mostra o escracho que virou o Parlamento brasileiro", acrescenta a repórter.

Na mesma categoria concorrem Cláudia Trevisan, do jornal O Estado de S. Paulo, Eliane Trindade, da Folha de S.Paulo, Letícia Duarte, da Zero Hora e Lúcia Helena de Camargo, do Diário do Comércio.

O "Troféu Mulher IMPRENSA" é idealizado e realizado por IMPRENSA Editorial e visa reconhecer o trabalho das mulheres nas redações brasileiras. A votação aberta acontece de 14/01 às 23h59 de 13/02. Para conhecer todas as finalistas e registrar seus votos, clique aqui.