Entidades se reúnem com ministro para cobrar medidas de segurança aos jornalistas

Redação Portal IMPRENSA | 18/02/2014 09:00
Entidades de defesa dos interesses dos jornalistas, entre elas o Sindicato dos Jornalistas do DF (SJPDF), serão recebidas nesta terça-feira (18/2), às 10h, pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), às 12h.

Crédito:Agência Brasil
Ministro participará de encontro para discutir medidas de segurança para a imprensa

Os representantes pedirão que o Estado assegure a segurança dos profissionais de imprensa e, para o presidente da Câmara, solicitarão a agilidade na tramitação do Projeto de Lei 6781/2010, que cria condições especiais de trabalho e aposentadoria para os profissionais de comunicação que têm funções externas.

O SJPDF convida jornalistas, repórteres fotográficos e cinematográficos para se mobilizarem com faixas e braçadeiras contra a violência sofrida pelos jornalistas e em homenagem ao cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, que foi atingido na cabeça por um rojão quando cobria uma manifestação no Rio de Janeiro (RJ). 

As entidades também vão cobrar a fiscalização das empresas do setor, que não têm adotado medidas necessárias à garantia da segurança dos funcionários, como o fornecimento de equipamentos de proteção e de treinamento para cobertura em situações de risco.

O coordenador-geral do SJPDF, Wanderlei Pozzembom, pontua que os profissionais exercem um papel de grande importância, uma vez que estão na linha de frente para que a sociedade possa ser informada.

 “O Estado tem que respeitar o trabalho da imprensa, não agir com violência contra ela e garantir a segurança do trabalhador. E os manifestantes devem também a agir com respeito em relação ao jornalista. Independentemente se a manifestação é contra veículo A, B ou C. É um cidadão que está ali, um trabalhador como outro qualquer. E com um papel importante, que é dizer para o restante da sociedade o que está acontecendo naquele momento”, acrescentou.