“No futuro, não vamos mais precisar ter um prêmio para mulheres”, diz Maria Inês Nassif

Vanessa Gonçalves | 14/03/2014 13:15
Na última terça-feira (11/3), a jornalista Maria Inês Nassiff recebeu o “Troféu Mulher IMPRENSA” na categoria “Repórter de Site de Notícias”, durante a festa de premiação no espaço Rosa Rosarum, em São Paulo (SP).

Crédito:Alf Ribeiro
Jornalista lembrou início difícil na carreira

Para Maria Inês, o destaque ao ser uma das premiadas é condecoração de sua carreira como jornalista de política. Afinal, há quase 40 anos, quando ingressou nesta editoria, poucas mulheres faziam parte deste metiê, já que era um espaço exclusivamente masculino. “Receber o prêmio como mulher é quase um reconhecimento dessa trajetória como jornalista e como mulher dentro da política. Hoje, somos majoritárias na área política, no jornalismo, e eu acompanhei esta mudança, sou testemunha”.

A ascensão feminina no jornalismo também foi lembrada por Maria Inês Nassif. Na opinião dela, isso reflete a acomodação do mercado de trabalho que precisava de mão de obra qualificada. “Todos os censos e as grandes pesquisas mostram que a mulher passou a ser não apenas uma mão de obra numericamente maior, mas uma profissional que tem mais escolaridade e dedicação ao trabalho”.

Por fim, o grande desejo da jornalista é ver a questão de gênero sepultada, de forma que as mulheres, independentemente da profissão, possam alcançar cargos de chefia e recebendo os mesmos salários que os homens.  Se isso ocorrer, ela crê que “no futuro, não vamos mais precisar ter um prêmio para mulheres”. 

Leia também