"Não sou fascista", diz Rachel Sheherazade ao comentar críticas de Ricardo Boechat

Redação Portal IMPRENSA | 19/05/2014 10:30
A âncora do "SBT Brasil", Rachel Sheherazade, respondeu às críticas dos jornalistas Ricardo Boechat e Ana Paula Padrão durante participação no programa "Eliana", exibido no último domingo (18/5). O apresentador havia comentado em seu programa na BandNews que a opinião da colega "era uma bosta" e a chamou de "fascista". Já Ana Paula Padrão a qualificou como "imatura", "bem intencionada, mas perigosa".

Crédito:Divulgação
Jornalista disse ter ficado surpresa com declarações dos colegas

Segundo o UOL, Rachel lamentou a declaração do colega de profissão e disse que gostaria de conversar com ele pessoalmente. "Eu acho o Boechat um tremendo jornalista, sempre o ouço na rádio, mas acho que ele foi muito infeliz. Às vezes ele escorrega mesmo, mas não sou fascista. Ele, como jornalista bem informado, sabe o significado da palavra. Eu sou uma pessoa liberal. Eu acho que ele foi infeliz, profundamente infeliz. Não sei o que ele tem contra mim nessa perseguição", afirmou. 

Sheherazade também avaliou as críticas de Ana Paula Padrão. "O engraçado é que antes eu tinha Ricardo Boechat e Ana Paula Padrão como ícones. Quando a gente se aproxima, percebe que não é tudo aquilo que imaginávamos. Outra, que também não me conhece e se sente no direito de julgar", rebateu.

Inspiração

Durante a atração, a âncora contou que Cid Moreira foi uma inspiração para que ela se tornasse jornalista. "Eu brincava de ser jornalista no espelho da minha casa. A gente assistia o Cid Moreira no 'Jornal Nacional', e todos reverenciavam aquele homem, em silêncio, e quando dava o intervalo eu ia para o espelho e imitava a voz do Cid. Eu tinha uns 9 ou 10 anos", explicou.

Polêmica

A jornalista voltou falar sobre a ação de "justiceiros", que prenderam um suposto assaltante a um poste na zona sul do Rio de Janeiro. "Eu defendo a justiça, não o justiçamento. Jamais defenderia a justiça com as próprias mãos. Sou cristã", afirmou.

Sheherazade virou alvo de críticas ao comentar a ação em fevereiro deste ano no "SBT Brasil". Segundo ela, a atitude dos "justiceiros" foi "compreensível". "Infelizmente, algumas pessoas distorceram o que eu falei por interesses escusos, e digo mais, com interesses políticos para tentar me intimidar e calar outras opiniões. Ninguém se importou com esse 'menino do poste', ninguém adotou esse 'menino do poste'. E queira saber onde está esse menino. Se alguém teve piedade dele", pontuou.

Assista a um trecho do programa:



Leia também