Projeto traduz textos em libras para surdos; "Estadão" planeja adotar o sistema no portal

Christh Lopes* | 07/08/2014 17:15
A luta pelos direitos humanos tem como uma de suas pautas primordiais a questão da acessibilidade. Num tema que apresenta tantas demandas, a ProDeaf identificou uma oportunidade de desenvolver uma série de projetos para tornar a tecnologia uma ferramenta para todos. Entre as iniciativas, surgiu o WebLibras, sistema de tradução de sites para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).  “Foi uma evolução da ProDeaf para democratizar o acesso à informação escrita, aos surdos brasileiros”, diz Renato Kimura, gerente de produtos da startup.

Crédito:Divulgação
Avatar traduz textos e notícias em libras para deficientes visuais

Com quatro anos atuando no mercado, a empresa surgiu de uma maneira inusitada. Alunos do curso de ciência da computação da Universidade Federal de Pernambuco se reuniram para criar um projeto na faculdade. Entre os integrantes, estava um deficiente auditivo e a dificuldade para se comunicar motivou os jovens a buscarem soluções globais para o problema.

A comunicação se tornou alvo deste grupo, que já realizou diversos projetos para o segmento e recebe o apoio e parceria de grandes marcas, como Wayra Brasil, Telefônica, Microsoft, Sebrae e também do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  (CNPq).

Para Kimura, há uma necessidade de oferecer conteúdos escritos aos surdos, uma vez que boa parte das pessoas que tem a libra como a primeira língua, sente dificuldade para compreender o português. “Isso ocorre porque as estruturas das línguas são diferentes”, diz.

Pelo WebLibras, os veículos de comunicação produzidos na internet e empresários interessados podem se cadastrar em planos conforme o plano de interesse. Há o gratuito, com limitação nas ferramentas oferecidas pelo software, há o básico, para sites com maior produção de conteúdo, (ofertado em R$ 89 ao mês), e o especial, que projeta a ferramenta a partir da necessidade do cliente.

A iniciativa é vista com bons olhos pelo portal de O Estado de S. Paulo. O diário faz testes com o tradutor automático para avaliar a possibilidade de empregá-lo em todo o site. “Atualmente, traduzimos alguns blogs específicos do 'Estadão', como o Vencer Limites. São conteúdos altamente relevantes para a comunidade inclusiva e a parceria faz muito sentido e tem dado muito certo. Estamos em uma fase inicial de testes e a ideia é implantar no portal inteiro”, revela Kimura.

Pontos positivos 

Só no Brasil, há 10 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência auditiva. Desse total, muitos são usuários da libra como língua materna, o que significa que não compreendem o português com facilidade, e uma parcela significativa não é alfabetizada. A partir dos trabalhos desenvolvidos para este público, a ProDeaf afirma que recebeu um feedback muito positivo. 

“Os benefícios são diversos. Para os surdos, o valor é imensurável. Além de facilitar a compreensão do texto para aqueles que têm maior dificuldade, a ferramenta também serve como uma espécie de consulta para quem domina o português”, destaca Kimura.

Nas soluções apresentadas pela empresa, as marcas podem ganhar diversos benefícios, que retornam de certa maneira os investimentos no produto, como o posicionamento de que se importa com a acessibilidade, como também o maior engajamento deste nicho de consumidores. 

Na parte do WebLibras, a startup trabalha constantemente para melhorar os mecanismos de tradução, para que a interpretação do avatar seja cada vez mais natural, e as novas palavras — ou sinais, em libras — que são inseridos com frequência na ferramenta. “A importância de tornar conteúdos da rede disponíveis em Língua de Sinais, é garantir o acesso a esses milhares de cidadãos à informação”, disse o executivo. Para utilizar a ferramenta é simples. Em poucos minutos, o administrador do blog ou do site pode inserir o serviço de tradução de sites da WebLibras e escolher o plano conforme sua necessidade. 

Uma vez cadastrado, o usuário da ferramenta tem acesso a uma página de serviços, como o painel de controle das traduções, como também pode acompanhar o passo a passo de como implantar o WebLibras em seu site. Entre os cases de sucesso da iniciativa, há diversos portais que trabalham com a diversidade e inclusão, além de instituições financeiras e grupos de serviço público, como a Bradesco Seguros, a Telefônica, a Laramara e a Vida Mais Livre. Acesse o site

* Com supervisão de Vanessa Gonçalves. 

Leia também
- Especialista em ecomarketing fala da relevância de ações socioambientais para as marcas