Programas da BBC correm risco com emancipação da Escócia e divisão da emissora

Redação Portal IMPRENSA | 18/09/2014 11:00
A emissora pública britânica BBC poderá cessar suas transmissões para o território escocês caso ocorra a independência da região, informou o canal na última quarta-feira (17/9). "A BBC é uma companhia pública financiada pela audiência por meio da licença de televisão. Na eventual vitória do 'sim', o futuro da empresa como serviço público na Escócia deverá ser negociado", diz.

Crédito:Divulgação
Emissora pode ser dividida e público escocês ficar sem acesso à programação

Os britânicos pagam a licença anualmente. O imposto é determinado no valor de 145,50 libras, cerca de R$ 550, destinado à produção e transmissão de TV, dos serviços de rádio e internet. A emissora publicou ainda um guia sobre como serão os serviços caso o plebiscito resulte pela independência.

"O governo escocês espera criar o Serviço Escocês de Radiofusão (SBS, na sigla em inglês) em 2017 com ativos e equipe da BBC Escócia. A ideia consta do plano de governo independista", esclarece o canal.

Ao jornal The Guardian, o ex-diretor-geral da BBC, John Birt, disse que a independência teria "consequências" para a radiofusão. Ele sugeriu que o governo britânico poderia criar regras para impedir acordo, além de impor a venda da programação a preços comerciais para a população do território escocês.

Leia também