Redação do "Lance!" no RJ demite 30 jornalistas para se "adequar" ao mercado

Redação Portal IMPRENSA | 30/09/2014 12:30
Atualizada às 17h30

O diário esportivo Lance! acaba de promover cortes em seu quadro de funcionários. O presidente, Walter Mattos, justificou a medida como um “ajuste” para a adequação da empresa “aos novos tempos”. Apesar de não revelar números, o Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro (RJ) afirma que cerca de 30 jornalistas, quase a metade da redação, além de correspondentes e de um colunista de São Paulo (SP), foram demitidos.

Crédito:Reprodução
Presidente do grupo disse em carta que cortes adequam o jornal aos "novos tempos"

Em nota, a entidade informa que a decisão foi uma surpresa e diz que o passaralho ocorre junto ao processo de negociação para que sejam cumpridos os direitos dos trabalhadores. "O Sindicato já procurou a empresa para obter esclarecimentos e para cobrar que sejam respeitados todos os direitos legais dos trabalhadores", afirma.

O Sindicato repudiou a decisão da empresa e disse que aguarda a definição de data para a terceira mesa Redonda no Ministério do Trabalho junto à empresa, acusada de manter os jornalistas sem controle de ponto, sem a folga semanal e sem o pagamento há anos da participação nos resultados da empresa. 

A entidade também promove reunião com a assessoria jurídica desde às 11h desta terça-feira (30/9). Procurado por IMPRENSA, o jornal ainda não se pronunciou sobre as medidas.

Leia a carta do presidente do Lance!, Walter Mattos na íntegra: 

Caros colaboradores

Como todos sabemos, o mercado das empresas de comunicação passa por um momento de adequação às exigências dos novos tempos, com a explosão das plataformas digitais, a classificação e a globalização da informação.

Assim, a busca por modelos inovadores que garantam a competitividade e a sustentabilidade das empresas é a única alternativa viável para quem quer se manter relevante nesse mercado.

O LANCE! não é diferente. Somos parte desse universo. E precisamos nos reinventar. Reinventar o modelo econômico da empresa, adequando os custos, reinventar principalmente a nossa forma de trabalhar, racionalizando recursos. O nosso desafio é atender as demandas deste novo mundo, mantendo os padrões de qualidade, as exigências de volume de informação e os valores de independência, credibilidade e profundidade jornalísticas que há quase 18 anos norteiam nossas ações.

Conseguir agregar valor ao que produzimos é a certeza de que teremos produtos diferenciados e capazes de fidelizar os nossos consumidores atuais e ampliar ainda mais o nosso público em todas as plataformas. Para tanto, esforços estão sendo empreendidos, com investimento em novas tecnologias e a adoção de novos processos internos.

Passamos neste momento pelo impacto de um ajuste. Para dar um passo à frente muitas vezes, por mais que isso não seja o desejável, é inevitável que se tome medidas desagradáveis, especialmente do ponto de vista humano. Aos colaboradores que saem, o nosso agradecimento sincero por toda dedicação e esforço.

Brevemente, faremos um Papo Aberto compartilhando com todos os novos rumos e os desafios que nos esperam. Desde já, e como sempre aconteceu no LANCE!, contamos com o compromisso de todos nessa nova fase.

Saudações,
Walter

Posicionamento sindicato

Nesta quarta-feira (1/10), a entidade informou à IMPRENSA que fará acompanhamento minucioso do pagamento das verbas rescisórias dos 37 demitidos no Lance!. Além disso, avisa que os jornalistas cortados pelo diário têm novo encontro no sindicato no dia 16 de outubro, às 13h, logo após mesa redonda no Ministério do Trabalho.

Essa acompanhamento do sindicato verificará se benefícios atrasados, como a participação dos lucros e resultados e as horas extras, também serão creditados nas contas dos ex-funcionários. "Caso o Lance! mantenha a postura dos últimos dois encontros na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio, o sindicato vai oferecer aos jornalistas a possibilidade de entrar com uma ação na Justiça trabalhista reivindicando direitos e o pagamento de benefícios atrasados. Há ainda uma articulação para realizar um ato em frente ao jornal". 

A entidade negocia com o jornal há quase um ano o cumprimento de direitos trabalhistas acima mencionados. Entretanto, os cortes pegaram o sindicato de surpresa, pois não foi alertado sobre a possibilidade de trabalhadores serem dispensados. 

De acordo com o sindicato dos jornalistas, a mesa redonda no Ministério do Trabalho marcada para a segunda quinzena de outubro também tratará de outras irregularidades na empresa, como a ausência de ponto na redação; o não pagamento de horas extras; acúmulo de função; jornada estendida por mais de seis dias sem folga; falta de clareza na compensação de folgas; ausência de equipamentos de proteção individual; estagiários desempenhando trabalho de jornalista; falta de ergonomia e equipamentos ultrapassados.

Leia também