Após 14 anos, Paulo Vinícius Coelho deixa ESPN e assina com Fox Sports

Alana Rodrigues* e Vanessa Gonçalves | 09/12/2014 12:15
O jornalista Paulo Vinicius Coelho, mais conhecido do público como PVC, pediu seu desligamento da ESPN Brasil, emissora para a qual trabalhava há 14 anos. Ele acertou a transferência para o canal Fox Sports e deve estrear em 2015.

Crédito:Divulgação
PVC deixa a ESPN Brasil após 14 anos

IMPRENSA apurou que ele receberá cinquenta por cento a mais de salário na Fox Sports, mas o aumento salarial não teria sido o motivo para a mudança de endereço. A oportunidade de cobrir a Copa Libertadores, viajar, produzir matérias e ter um programa próprio pesaram na decisão do jornalista.  

A saída de PVC teria se dado principalmente por não "querer trabalhar numa emissora onde a maioria dos jornalistas estão insatisfeitos com os destinos da empresa". Ele teria dito a pessoas próximas que, se estivesse satisfeito com os rumos da atual gestão da ESPN, nem ouviria outras propostas. Procurado, o jornalista não quis comentar essas questões.

Na ESPN, o jornalista participou de diversos programas como “Bate-Bola”, “Linha de Passe” e “Loucos por Futebol”. Também fez a cobertura das últimas três Copas do Mundo. Além da conhecida carreira na TV,  escreve para a Folha de S.Paulo e é autor dos livros “Bola Fora: A História do Êxodo do Futebol Brasileiro”, “Jornalismo Esportivo” e “O Planeta Neymar”.

Em sua página do Facebook, o jornalista relembrou sua entrada na ESPN, a convite de José Trajano. Ele foi chamado para comentar a Copa da África de 2000. À época, assinava uma coluna sobre futebol internacional no diário Lance!.

"Aprendi que há uma coisa que distingue a ESPN de todos os outros lugares: o fã de esportes. Aprendi tanto e até hoje não sou um cara de TV, mas um jornalista de revista que põe conteúdo em todas as mídias. Se as pessoas ainda acham estranho quando eu digo isto é porque minha cara virou a ESPN. Minha cara, não. Minha casa!", escreveu ele ao agradecer a equipe.

"A decisão é minha. Impossível dizer o que será de mim. Possível apenas saber que sigo minha vida de colunista na Folha de S. Paulo aos domingos e segundas-feiras. E que vou sentir uma falta desgraçada de vocês todos. Darei notícias", acrescentou.

* Com supervisão de Vanessa Gonçalves.

Leia também