Família de jornalista americano quer decapitador do Estado Islâmico preso

Redação Portal IMPRENSA | 27/02/2015 09:00
A família do jornalista americano Steven Sotloff, morto no ano passado por jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI), quer o que decapitador seja imediatamente preso. Na última quinta-feira (26/2), o suposto assassino do repórter teve a identidade revelada.

Crédito:Reprodução
Família do jornalista (foto) pede a prisão do decapitador do Estado Islâmico

De acordo com a AFP, a afirmação foi feita pelo porta-voz da família, Barak Barfi, após a imprensa americana divulgar a identidade do "Jihadista John". "Se Mohammed Emwazi - como foi identificado - for o homem que executou Steve, os Sotloff confiam, inteiramente, em que os serviços de Segurança e de Inteligência americanas vão capturá-lo", declarou.

"Anseiam pelo dia em que John será julgado e condenado pelo crime de executar Steve. É assim que funciona a Justiça americana e é assim que essa nação prevalecerá sobre as forças malignas que querem impedir nosso estilo de vida", acrescentou ele.

Após aparecer mascarado em diversos vídeos executando reféns ocidentais, o militante foi identificado por vários jornais como Emwazi, um jovem programador britânico que teria viajado para a Síria em 2012.

Steven Sotloff foi decapitado pelos extremistas um ano depois de ter sido sequestrado na Síria, em represália aos ataques aéreos americanos contra o Estado Islâmico no Iraque.

Leia também