Em livro, jornalista retrata ditadura militar sob o olhar de adolescentes

Lucas Carvalho* | 30/09/2014 16:00
Em 1976, um grupo de adolescentes passa pelas transformações da juventude, descobrindo a si mesmo e superando os obstáculos do amadurecimento. Esse é o cenário de “Na Pele dos Meninos”, novo romance do jornalista Márcio ABC, que retrata o período da ditadura militar sob a perspectiva dos “inocentes”.

Crédito:Divulgação
Márcio ABC é jornalista e autor de outros três romances de época

“Basicamente, é um romance sobre o despertar da adolescência situado num período brutal da história recente do país”, conta o autor em entrevista à IMPRENSA. Segundo Márcio, o ano de 1976 foi “emblemático” para o Brasil com a perseguição de militantes de esquerda e as mortes dos ex-presidentes Juscelino Kubitschek e João Goulart.

“O romance começa com esses protagonistas, cinco garotos e uma menina, inocentes diante do que está se passando na história do Brasil. Como, aliás, a grande maioria da população, principalmente em regiões do interior do país, não tinham noção correta do que se passava em termos políticos na época”, acrescenta Márcio.

O jornalista, autor também das obras “Pater” (2012), “Desrumo” (2010) e “Parabala” (2002), diz que o interesse pela história recente do Brasil veio naturalmente em sua carreira como escritor. Seus dois primeiros livros se passam no início do século XX, enquanto seu mais recente trabalho já é ambientado durante o governo de Fernando Collor, após o fim da ditadura. 

Segundo o autor, é uma espécie de “missão” do jornalista despertar no público uma reflexão sobre o tempo em que vive. Seu projeto é o de estimular as novas gerações a entender a história política do Brasil. “Hoje o acesso a novas tecnologias é muito fácil. Esse bombardeio de informações e de diferentes conteúdos na cabeça do jovem acaba criando uma certa confusão. É muita coisa ao mesmo tempo”, diz.

O autor afirma que, em período de eleições, essa “confusão” entre os jovens brasileiros pode prejudicar o julgamento e a formação de opiniões. Pensando nas manifestações de junho de 2013, nos protestos defendendo a volta do regime militar e na pluralidade de opiniões no debate político, Márcio conclui que a literatura também tem o papel de fornecer os alicerces para construção de uma sociedade consciente.

“Um dos objetivos do livro ‘Na Pele dos Meninos’, por esse lado histórico, é que, embora não seja um livro documental – é um romance – também tem o compromisso de tentar despertar nas novas gerações o interesse pela nossa história recente. Uma coisa que está meio perdida nesse turbilhão de informações”, completa o jornalista.

Márcio conclui dizendo que ainda faltam produtos culturais que estimulem o público a compreender o cenário político brasileiro. Segundo ele, há pessoas que viveram a época da ditadura, mas que jamais se deram conta da tensão e importância daquele período histórico.

“É até natural que as pessoas não tenham muita informação, porque a própria literatura não trata dessas épocas mais recentes da história do país. Então, eu acho que existe uma espécie vácuo, o que também foi um dos motivos pelo qual eu optei por essa abordagem”.

* Com supervisão de Vanessa Gonçalves

Leia também