Planalto identifica servidor público que alterou dados de jornalistas no Wikipédia

Redação Portal IMPRENSA | 11/09/2014 17:45
A Comissão de Sindicância Investigativa da Casa Civil, instaurada para identificar os responsáveis pelas alterações em páginas de jornalistas na enciclopédia virtual Wikipédia, divulgou nesta quinta-feira (11/9) o nome do funcionário público responsável pelas mudanças: Luiz Alberto Marques Vieira Filho. Ele atualmente ocupa o cargo de chefe da Assessoria Parlamentar do Ministério do Planejamento.

Crédito:Divulgação
Servidor que modificou perfis dos jornalistas foi afastado e será processado

Segundo nota oficial da Casa Civil, Vieira era assessor na Secretaria de Relações Institucionais do Planalto na época em que as alterações foram feitas. O servidor, que admitiu a responsabilidade e pediu desligamento do cargo, responderá ainda a um processo administrativo disciplinar com prazo de 30 dias para ser concluído - podendo ser prorrogado por mais um mês.

O assessor pode ser terminantemente impedido de exercer qualquer função pública novamente.

Entenda o caso

Uma reportagem do jornal O Globo, de 8 de agosto, apontou que o IP 200.181.15.10 - que corresponde a um computador do governo federal - realizou mudanças nas páginas da jornalista Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg no Wikipédia. As alterações foram feitas entre os dias 10 e 13 de maio deste ano.

A primeira ocorreu no perfil da colunista Miriam Leitão, caracterizando as análises da jornalista como “desastrosas”. Três dias depois, a rede foi usada para relacioná-la ao banqueiro Daniel Dantas, pois “fez a mais corajosa e apaixonada defesa” do “ex-banqueiro condenado por corrupção entre outros crimes contra o patrimônio público”, diz. 

No perfil de Carlos Alberto Sardenberg, as alterações foram similares. No mesmo dia 10, quatro horas antes de ser modificado o de sua colega, a rede do Planalto começou a mudar a página que retrata o apresentador. O texto anterior já o mencionava como forte crítico das políticas econômicas de Lula e Dilma, “principalmente em relação aos cortes de juros promovidos nesses governos”.

Leia também