Senadores cobram punição por ensaio sensual de menores na "Vogue Kids"

Redação Portal IMPRENSA | 16/09/2014 16:00
O polêmico ensaio sensual com menores publicado na edição de setembro da Vogue Kids pode ser alvo de investigação. Os senadores Magno Malta (PR-ES) e Inácio Arruda (PCdoB-CE) cobraram a apuração do caso e a punição dos envolvidos na revista, encartada junto com a Vogue Brasil. Na última segunda-feira (15/9), os parlamentares pediram a análise do caso pelos órgãos competentes.

Crédito:Agência Senado
Senadores Magno Malta (PR-ES) e Inácio Arruda (PCdoB-CE) querem punição por ensaio sensual com crianças

Segundo a Agência Senado, a Justiça de São Paulo determinou que a editora Globo – responsável pela publicação – interrompa a distribuição e retire de circulação os exemplares já distribuídos desta edição, atendendo a um pedido feito pelo Ministério Público. Ao falar sobre o episódio, os senadores consideram a medida acertada, embora ambos tenham que considerar que a mesma não é suficiente.  
Magno Malta pede para que haja uma investigação mais profunda dos editores e donos da revista. Para ele, se faz necessária uma convocação dos pais dos menores fotografados, além de punição a todos os envolvidos.

Arruda concorda com o colega e diz que o abuso infantil deve ser combatido urgentemente no país. “O Ministério Público deve responsabilizar os dirigentes da empresa pelo ato. A revista abusou das crianças mesmo que o ensaio tenha sido autorizado pelos pais. Não podemos deixar as nossas crianças já fazendo poses sensuais em revistas que visam apenas uma exploração econômica”, disse o parlamentar. 

Na visão do senador Malta, a revista poderia ser acusada de promoção da pedofilia. “Nada justifica esse ensaio. A criança é erotizada antes até de chegar na sua fase de puberdade. Claro que é alguém provocando para poder criar mercado. Criar mercado em cima de mutilação emocional, moral e familiar de uma criança”, ressalta.

Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) também comentou o episódio. De acordo com o parlamentar, esta edição da publicação viola um dos princípios básicos ligados à proteção integral da criança previstos na Constituição. Ele também lamentou a postura da Vogue Kids que “em sua busca desenfreada pelo consumo não pensa em ninguém, chegando, até mesmo, a ferir imagens de crianças”.

Leia também