ESPN demite dez jornalistas; mudanças visam renovação do quadro de funcionários

Vanessa Gonçalves e Christh Lopes* | 02/10/2014 12:45
Atualizada às 13h30

Na última quarta-feira (1º/10), a ESPN Brasil realizou cortes em sua redação. Cerca de dez jornalistas foram demitidos. As demissões atingiram principalmente os profissionais que ocupavam cargos de chefia e editoria na emissora.

Crédito:Reprodução
Emissora demitiu funcionários antigos da redação

IMPRENSA apurou que editores como Carlos Lima, Thiago Blum, Paulo Campos, Daniella Novo e Fernando Victorino estão na lista de demitidos. Todos esses profissionais tinham mais de dez anos de casa. 

No Facebook, Daniella Novo comentou a saída da empresa. “Hoje foi um dia difícil. Dia de coração partido. Não só pelo meu desligamento da empresa que me acolheu por 14 anos e alguns meses. Mas por saber que agora não tem mais volta e minha ida para outra cidade está tão perto. Não é só o puro desligamento da ESPN, mas é o "afastamento" de família, amigos e pessoas que amo que está aí, na minha cara!”.

Thiago Blum e Paulo Campos também usaram as redes sociais para falar sobre a demissão. Para Blum, há a certeza de que uma oportunidade “muito boa nos aguarda”. Já Campos avalia os cortes como um fechamento de ciclo na ESPN Brasil. “Acho que as demissões de ontem marcam o final de um ciclo no canal. Ele nunca mais será o mesmo. Sorte de quem, como nós, teve o prazer de trabalhar na "era romântica", em que havia liberdade para se criar, e não compromisso com audiência, metas, reuniões pra todo lado etc.”

Posicionamento da emissora

Procurada, a ESPN informou que as mudanças tratam-se de um "movimento natural de renovação do quadro de funcionários". Em nota, a emissora nega o fechamento de cargos e assume a substituição de profissionais. 

"A direção de jornalismo da ESPN optou por mudanças na equipe da redação de São Paulo. Não houve nenhum corte de cargos e todas as posições serão mantidas. Os profissionais que saíram já estão sendo substituídos por outros através de promoções internas e também de contratações de mercado. Como qualquer empresa em um ambiente de mercado competitivo, novos desafios surgem e movimentos como esse são necessários para entregar o melhor conteúdo ao fã do Esporte”

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo não tinha sido informado sobre as demissões e prometeu comentar o caso assim que obtiver mais informações.