"Estadão" demite Alessandro Giannini e ordena corte de gastos em todas as editorias

Vanessa Gonçalves | 24/02/2015 19:00
Nesta terça-feira (24/2), o jornal O Estado de S. Paulo continuou a série de cortes na redação como medida para reduzir os custos com a folha de pagamento. Desta vez, Alessandro Giannini, editor-assistente de Internacional, está entre os demitidos.

Crédito:Reprodução
Jornal reduz gastos demitindo jornalistas de todas as editorias

IMPRENSA apurou que os editores receberam ordens da direção para reduzir, em média, R$ 18 mil de cada caderno. No entanto, o valor varia entre as editoriais. Por exemplo, "Esportes" terá de cortar um total de R$ 24 mil de sua folha, tanto que no dia 11 de fevereiro, a editoria demitiu Matheus Silva Alves, editor-assistente; Alessandro Luchetti, repórter de esportes olímpicos; e Fernando Faro, setorista do São Paulo.

Na semana anterior, o jornal já havia realizado demissões pontuais, cortando dois repórteres do "Jornal do carro"; Pedro Favero, da Agência Estado; Elder Ogliari, correspondente em Porto Alegre; e Monica Zarattini, editora-assistente de fotografia, que estava no Estadão há 26 anos. 

De acordo com o Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo (SJSP), profissionais do diário denunciaram que os cortes não são pontuais e que que as vagas não serão respostas. A queda nas receitas seria o motivo das demissões.

Além disso, há um clima de intranquilidade na redação, umas vez que “a empresa pretende privilegiar o portal em relação ao impresso”. Em razão disso, “os editores passarão a entrar no período da manhã, com foco na homepage de sua editoria e deixarão o impresso para “fechadores”, que farão jornada no turno da tarde”, como ocorreu em O Globo ainda em 2014.

Em nota, o SJSP repudiou a omissão do Estadão sobre a situação de seus funcionários e julga inconcebível a falta de transparência durante a reunião com representantes da empresa e membros da entidade.