Empresários de mídia e jornalistas brasileiros estão na lista do caso SwissLeaks

Redação Portal IMPRENSA | 14/03/2015 11:00
Neste sábado (14/3), os jornalistas que investigam os 8.667 brasileiros que, no período de 2006 e 2007 tinham contas numeradas no HSBC da Suíça, no caso que ficou conhecido como SwissLeaks, divulgaram que na lista aparecem 22 empresários de empresas de comunicação e sete jornalistas do país entre os correntistas do banco. 

Crédito:Divulgação
Empresários de mídia e jornalistas tinham contas no HSBC na Suíça

Segundo O Globo e o blog de Fernando Rodrigues no UOL, nos documentos constam os nomes de proprietários do Grupo Globo, Grupo Folha, Rede Bandeirantes, Grupo Manchete, Rede Massa, Grupo João Santos, Rede Transamérica, Grupo Edson Queiroz, Gazeta Mercantil, Rede CBS, rádios Curitiba e Ouro Verde FM.

Entre os jornalistas aparecem o apresentador Arnaldo Bloch, de O Globo; José Roberto Guzzo, da Editora Abril; Mona Dorf, da rádio Jovem Pan; Arnaldo Dines, Alexandre Dines, Debora Dines e Liana Dines, filhos de Alberto Dines; e Fernando Luiz Vieira de Mello ex-rádio Jovem Pan.

Todos os correntistas localizados pela reportagem negaram a existência das contas e qualquer irregularidade.

Grupo Folha

Os proprietários do Grupo Folha, ao qual pertence o UOL, Octavio Frias de Oliveira (1912-2007) e Carlos Caldeira Filho (1913-1993), tiveram conta conjunta na instituição. Luiz Frias, atual presidente da Folha e presidente/CEO do UOL, aparece no documento como beneficiário da mesma conta, criada em 1990 e oficialmente encerrada em 1998. Em 2006/2007, ela estava inativa e zerada.

Rede Bandeirantes

Na época do vazamento dos arquivos, quatro pessoas da família Saad, proprietária da Rede Bandeirantes, tinham contas no HSBC. Eram correntistas João Jorge Saad (1919-1999), Maria Helena Saad Barros (1928-1996), Ricardo Saad e Silvia Saad Jafet, filho e sobrinha de João Jorge.

Rede Massa
O apresentador Carlos Roberto Massa, dono da “Rede Massa”, afiliada ao SBT no Paraná, tinha uma conta conjunta com sua esposa, Solange Martinez Massa, em 2006/2007, com saldo de US$ 12,5 milhões.

Grupo Edson Queiroz (TV Verdes Mares e Diário do Nordeste)

Os proprietários do Grupo Edson Queiroz, Lenise Queiroz Rocha, Yolanda Vidal Queiroz e Paula Frota Queiroz, todos membros do conselho de administração, da empresa, tinham US$ 83,9 milhões nas contas no HSBC em 2006/2007. Edson Queiroz Filho, que morreu em 2008, também era beneficiário da conta.

Grupo João Santos 

Fernando João Pereira dos Santos, proprietário do Grupo João Santos, da TV e a rádio Tribuna no Espírito Santo e em Pernambuco e o jornal A Tribuna tinha duas contas no período dos vazamentos, com saldos de US$ 4,4 milhões e US$ 5,6 milhões.

Rede Transamérica

Na época dos vazamentos, Aloysio de Andrade Faria, proprietário do grupo, tinha US$ 120,6 milhões em conta ativa no HSBC.

Rede CBS de rádios (Scalla, Tupi, Kiss e outras)

Dorival Masci de Abreu, que era proprietário da empresa, foi correntista da instituição financeira na Suíça entre 1990 a 1998. Ele morreu em 2004.

Rádios Curitiba e Ouro Verde FM

João Lydio Seiler Bettega, dono das rádios Curitiba e Ouro Verde FM no Paraná, tinha conta ativa em 2006/2007 com um saldo de US$ 167,1 mil.

Grupo Manchete

A esposa de Adolpho Bloch (1908-1995), fundador do Grupo Manchete, Anna Bentes, fechou sua conta na sede do HSBC na Suíla em 2000.

Gazeta Mercantil

Luiz Fernando Ferreira Levy (1911-2002), que foi proprietário do extinto jornal “Gazeta Mercantil”, teve conta no HSBC em Genebra entre os anos de 1992 a 1995.


Jornalistas

As contas de Bloch e Guzzo estavam encerradas em 2006/2007. Mona tinha US$ 310,6 mil de saldo, enquanto os quatro jornalistas da família Dines guardavam US$ 1,395 milhão.

Fernando Luiz Vieira de Mello (1929-2001), ex-rádio Jovem Pan, teve uma conta, mas que foi encerrada em 1999.

Lily de Carvalho, viúva dos jornalistas e donos de jornais, Horácio de Carvalho (1908-1983) e Roberto Marinho (1904-2003) aparece na lista. Ela aparece nos documentos com o sobrenome de Horácio, seu primeiro marido, e o representante legal da conta junto ao HSBC é a Fundação Horácio de Carvalho Jr. O saldo registrado em 2006/2007 era de US$ 750,2 mil.