Oficina "Fronteiras Cruzadas" alerta jornalistas sobre a questão dos produtos piratas no Brasil

Guilherme Athaide | 18/05/2015 14:15


Aguçar o interesse de jornalistas aos efeitos do contrabando no Brasil foi o principal objetivo da Oficina Fronteiras Cruzadas, realizado por IMPRENSA em parceria com o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco).

Segundo o Etco, 18% de todo o comércio brasileiro é de origem ilegal, por exemplo. Já a outra entidade demonstrou preocupação com a pouca fiscalização nas fronteiras, realizada por “apenas 2.900 funcionários para todo o Brasil”, de acordo com dados do Fncp.

“É um assunto muito importante que tem mais cobertura dos jornais do sul talvez por eles estarem mais próximos das fronteiras”, relatou a repórter do site do Estadão, Raquel Brandão. O editor do jornal Metro News, Alexandre de Paulo, também esteve presente para se aprofundar no tema. “Se a gente não souber um jeito de informar o problema, como vamos contar para as pessoas?”, questiona.

Problemas na cobertura

Representando as entidades organizadoras, Evandro Guimarães e Edson Luiz Vismona, respectivamente os presidentes do Etco e do Fncp, falaram sobre a importância da mídia no combate à pirataria. Ambos concordam que os veículos de imprensa tratam o tema de forma equivocada.

“Existe uma glamourização da imprensa na cobertura sobre comércio popular”, disse Evandro. Vismona pensa de forma parecida e acredita que há uma comoção em torno da figura do camelô. Os dois são enfáticos em dizer que existem maneiras de legalizar esse tipo de comércio, amenizando de regras tributárias e influenciando na melhoria de infraestrutura, por exemplo.

Preocupação da imprensa

Como as entidades envolvidas na Oficina concordam sobre a importância da imprensa para pulverizar na sociedade a preocupação com o problema, o jornalista Mauro König foi convidado para falar sobre suas coberturas. Ele é um dos repórteres mais experientes no assunto no Brasil, realizando reportagens sobre contrabando nas fronteiras brasileiras.

Sua apresentação girou em torno dos dados levantados em suas pesquisas, fruto de um trabalho de 20 anos. Além disso, König também contou histórias dos bastidores das reportagens e levantou novas formas e sugestões de pauta com os jornalistas.


Sobre as Oficinas Fronteiras Cruzadas

IMPRENSA Editorial leva a São Paulo e Brasília uma oficina especial sobre a cobertura jornalística do contrabando e de outras atividades ilegais no Brasil. A ação FRONTEIRAS CRUZADAS promove o aperfeiçoamento profissional de jornalistas que cobrem esses temas por meio do networking, de orientação técnica e ética, e da apresentação de iniciativas midiáticas bem-sucedidas que minimizaram os impactos destes problemas na sociedade.

Serviço
Oficina Fronteiras Cruzadas em Brasília
Data: 25/05/2015
Local: Escola Superior de Advocacia – OAB-DF
End.: SEPN 516, Bloco B, Lote 7, Asa Norte, Brasília-DF
Horário: das 9h00 às 13h00