Sindicato definirá mais ações para campanha salarial e empresas anunciam reajuste de 5,8%

Fonte: SJSP | 17/05/2005 13:57

As comissões de Mobilização, Negociação e a Diretoria do Sindicato estarão reunidas nesta quarta-feira (18/05) para definir as ações que serão tomadas nesta etapa da campanha salarial de rádio e televisão. Aberta a quem estiver interessado, essa reunião será realizada na sede do Sindicato (Rua Rego Freitas, 530, sobreloja, Vila Buarque) às 20h30.

Na semana passada (9 a 13/05), várias empresas de São Paulo anunciaram que vão aplicar o reajuste de 5,8% (INPC de dezembro de 2003 a novembro de 2004) aos salários dos profissionais. Trata-se de uma antecipação, já que o resultado do julgamento do dissídio coletivo no TRT-SP (Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo), que ainda não ocorreu.

Bandeirantes, Globo, CBN, Eldorado, Gazeta, TVTEM e Record aplicarão o reajuste apenas ao salário de maio, mas não se posicionaram em relação ao pagamento do reajuste retroativo a dezembro de 2004.

SBT e EPTV informaram que pagarão também os 34,8% de um salário (é o retroativo, resultado da multiplicação dos 5,8% por seis). Ninguém comentou nada, também, do abono, que estava na proposta patronal desde o início - 35% com limites de acordo com o número de jornalistas por empresa.

O reajuste de 5,8% elimina a perda acumulada no último período. Mas deixa de fora as perdas registradas em anos anteriores e está aquém da proposta feita pelo TRT, que inclui uma pequena reposição de perdas de 1,5%. 

O Sindicato continua tentado obter das empresas a assinatura de acordos coletivos com base na proposta do TRT-SP. Enquanto isso, o Sindicato luta pelo pagamento do reajuste de 5,8% e dos 34,8% retroativos. 

Dia Estadual de Luta - Jornalistas devem estar juntos com os radialistas


Os radialistas de São Paulo têm um dia de luta - e de luto, por causa da proposta patronal - em 19 de maio. Na reunião da quarta-feira, os jornalistas vão debater também as ações conjuntas que podem ser feitas daqui para a frente neste sentido. 

Mais do que prestar nossa solidariedade aos colegas radialistas - certamente estamos solidários e apoiamos os radialistas na sua batalha por salários e condições dignas de trabalho - é o caso de fazermos uma mobilização conjunta, pois temos duas campanhas salariais contra os mesmos patrões. E ambas com problemas. A proposta patronal para os radialistas é de reajuste de 5% (eles pedem 19,35%, que engloba o índice do Dieese do período entre as últimas datas-base mais perdas dos anos anteriores), sem abono.